Minhas Compras
cesta vazia
TELEVENDAS: (41)3253-3035
| | | | |
15/10/2019 14:29:16 hs
busca: Veja como melhorar a Busca
border=0
 CATÁLOGO
border=0
 Revivendo
border=0
 Again
border=0
 BIOGRAFIAS
border=0
 Nacionais
border=0
 Internacionais
border=0
 ALMANAQUE
border=0
 Reportagens
border=0
 Registros
border=0
 Curiosidades
border=0
 A PRODUTORA
border=0
 História
border=0
 Leon Barg
border=0
 Acervo
border=0
 Localização
border=0
 LINKS
border=0
 Links de MPB
border=0
border=0
border=0
border=0
Crônica de Sorocaba - a Professorinha Última Fase de Ataulfo Alves Ganha Reedição Assis Valente Revive Coletânea Festeja Centenário de Nascimento de Assis Valente, Autor de Brasil Pandeiro´ Por Mauro Ferreira Revivendo o Passado Luiz Gonzaga, o Eterno Rei do Baião Cem Anos de Braguinha Rendem Homenagens no Rio e em Sp Coletânea Traz Raridades de Carmen Para o Cd Raridades de Carmen Miranda, Braguinha: 100 Anos de Alegria Dicionário Gonzagueando, de a a Z Por Assis Angelo (livro)
Reportagens
Mais Reportagens
Última Fase de Ataulfo Alves Ganha Reedição
Assis Valente Revive
Coletânea Festeja Centenário de Nascimento de Assis Valente, Autor de Brasil Pandeiro´ Por Mauro Ferreira
Revivendo o Passado
Luiz Gonzaga, o Eterno Rei do Baião
Cem Anos de Braguinha Rendem Homenagens no Rio e em Sp
Coletânea Traz Raridades de Carmen Para o Cd
Raridades de Carmen Miranda,
Braguinha: 100 Anos de Alegria
Dicionário Gonzagueando, de a a Z Por Assis Angelo (livro)
...veja mais
Crônica de Sorocaba - a Professorinha

Crônica de Sorocaba - A professorinha 
 
 
HÁ MUITO tempo, já, que ela me ensina... A dizer tudo, parece-me (a mim quer parecer), só fez isso na vida. Já se vão lá para mais de vinte anos! E nem me é possível, agora, recordar-me de todas as aulas que me deu, as coisas todas que me ensinou. As que me ficaram foram, todas, lições de vida.  
 
Sim. Ensinou-me, antes de mais nada, a aceitar a vida, simplesmente, e, depois, a aceitar a vida como ela é, e a aceitá-la por inteiro, sem voltas, meias voltas, nem revoltas.  
 
É dela a história das duas irmãs e os sapatinhos. Uma das duas irmãzinhas, em prantos, buscava, um dia, em vão, por seus próprios sapatos, que haviam, misteriosamente, desaparecido. A outra apenas espiava, até que lhe indagaram pelos calçados da irmã - e ela, sorridente, mostrou-os onde os havia ocultado, por detrás duma enorme cortina. E a questão foi: por que a irmã que chorava em nenhum momento não interpelara a outra, que sorria, sobre se esta lhe havia escondido os sapatinhos? Foi-se indagar isso dela. E ela explicou: antes de desconfiar de sua própria irmãzinha, considerava a possibilidade de ela mesma não se lembrar de onde houvesse deixado os seus sapatos...  
 
Lembro-me de quando, para meu susto e desconcerto, por semanas sem fim, manteve-se internada num hospital: que de agonias! Era ela, lá, dentro, já desenganada pela Medicina, e a gente, cá, fora, dia a dia, aguardando, noite a noite, até que ela, delicada, vitoriosa, veio a nosso abraço.  
 
De lá para cá, sempre que a olho, olho-a com a atenção que se olha a quem pode, de repente, partir para sempre: que é como devemos nos olhar a todos uns para os outros e a todo momento - mais uma lição que ela me deu. Quanto ensinamento ela não guarda em seus olhos translúcidos, de uma pureza tão imensa, tanta, que até nos envergonha olhá-los fundo! Guardo a ânsia de Bilac por ouvi-la e vê-la.  
 
Um exagero? Mas, quem não se apaixona por sua professora? É que ela, para mim, é como era aquela ela para Sheakespeare - "She speaks! O speake again, bright angel!" - que enterneceu Machado, que a cantou assim:  
 
 
"Quando ela fala, parece 
Que a voz da brisa se cala; 
Talvez um anjo emudece 
Quando ela fala.  
 
Meu coração dolorido 
As suas mágoas exala. 
E volta ao gozo perdido 
Quando ela fala.  
 
Pudesse eu eternamente, 
Ao lado dela, escutá-la, 
Ouvir sua alma inocente 
Quando ela fala.  
 
Minh`alma, já semimorta, 
Conseguira ao céu alçá-la, 
Porque o céu abre uma porta 
Quando ela fala."  
 
 
E pensar que poucos conhecem o poeta por detrás do autor de "Dom Casmurro"!  
 
Ela, mestra, sempre foi ótima; já, eu, aluno, tenho sido renitente na ignorância e contumaz nos vícios. Pretensioso, tardei a compreender-lhe a sabedoria inocente, presumindo que a inocência não poderia ter a sabedoria que nos traz a perda da inocência. Não a tem, de fato, como a tenho: tem-na diferente, tem-na outra. Só dela. E que partilha, generosa, com seus próximos. Nem mede mãos nem nada para ensinar a seus aluninhos amados, a quem visita nas casas onde moram, aos quais chama pelos nomes e de que conhece as histórias, um por uma e cada. É querida e solicitada e nem posso enciumar-me de que se veja cercada dos que a desejam: antes, vaidoso, encho-me de orgulho por ter sido, talvez, o seu primeiro aluno.  
 
Agora, minha professorinha colou grau. Sim, a falar com detalhe, colou grau ainda ontem, literalmente ontem. Hoje, dançaremos, festejando sua conquista. Atenciosa, gentil, convidou-me para seu padrinho de baile - dançarei com ela a primeira valsa da noite.  
 
Dizem que a gente nunca que se esquece da nossa professora. Verdade. Já canta a música inevitável: "Que saudade da professorinha que me ensinou o bê-á-bá!"  
 
Desta aqui, menos ainda que esqueceria. Esta professora, que agora segue os passos trôpegos do pai e a trilha luminosa que lhes abriu o avô, é minha filha Ana Carolina - a quem dedico a crônica de hoje.  
 
Parabéns, mestra!  
 
E obrigado, professora.  
 
 
-------------------------------------------------------------------------------- 
Um poema  
 
LÓGICA DESCARTES  
 
Os desastres longínquos sossegam-nos do perigo  
próximo.  
 
O próximo perigo passa-nos despercebido 
e não passará de um desastre longínquo para alguém distante 
e desapercebido do perigo  
próximo 
 
 
de seu próprio próximo  
desastre.  
 
 
Paulo Tortello é Poeta. 
E-mail: tortello@zaz.com.br  


 Lançamentos
border=0
 Promoções
border=0
 Novidades
border=0
 DVDs
border=0
 CDs/DVDs Religiosos novo
border=0
 Destaques
border=0
 Futuros Lançamentos
border=0
 Catálogo por Gravadoras
border=0
 Gênero Musical
border=0
 World Music
border=0
 Download do Catálogo
border=0
 Cadastre seu e-mail
border=0
border=0
border=0
Revivendo Musicas - 22 anos preservando a Musica Popular Brasileira
Raul seixas Mpb Nelson gonçalves carlos ramires Cascatinha Christian e ralph FEVERS Pixinguinha Gonzagão Grever Dalva de oliveira Lunar Teca Tonico e tinoco Caim Serestas Sertanejos Nilton cesar Orlando silva Orquestra
página inicial | fale conosco | ajuda | cadastro | política de privacidade e segurança

© Copyright 1987-2015 Revivendo Músicas Ltda. - Todos os Direitos Reservados
As logos Revivendo® e Again® são marcas registradas da Revivendo Músicas Ltda.
A manutenção, a distribuição e a comercialização dos produtos encontrados neste site
é feito por Barg Comércio de Discos e Acessórios Musicais Ltda.
Os preços dos produtos podem sofrer alteração sem aviso prévio.